Árvore dos Livros

Quando eu era criança, durante muito tempo pensei que livros nascessem como as árvores, como os pássaros. Quando descobri que existiam autores, pensei: também quero fazer um livro.
"Clarice Lispector, escritora brasileira (1920-1977) (Fonte: PublishNews, 05/09/2005)·

AS ÁRVORES E OS LIVROS

As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortadas,
e capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas.

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas
no pecíolo, no limbo, nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Floresta das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras.
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.

Jorge Sousa Braga, Herbário (2002)

A Nossa Biblioteca

quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

hvhkvh

vhkjh

terça-feira, 6 de Julho de 2010

FINAL DO ANO LECTIVO

Querido blogue




Se eu fosse uma jovem adolescente hoje chegava a casa abria o meu diário e começava assim...

Querido diário hoje tive uma manhã aborrecida...

Agora com quase 50 anos, não tenho um diário mas tenho um blogue e vou começar da mesma forma.

Querido blogue hoje tive uma manhã aborrecida...

A assistente operacional esteve sempre a queixar-se que o programa GIB não funcionava, não consegui aceder ao site da RBE para fazer o relatório da auto avaliação da biblioteca escolar. O site encontra-se em construção! Parece impossível estar a construir alguma coisa numa altura destas! Também que interessa isso? Como ainda falta o preenchimento de alguns questionários de docentes, nada posso fazer. Agora a assistente operacional está a desabafar comigo que até ao meio dia só catalogou nove livros! Também não consigo preencher o Modelo F e G sobre a avaliação das bibliotecas por causa da dita construção do site da RBE! Hoje de tarde tenho de ir para a reunião do SABE e não vou conseguir acabar esta reflexão. Espero que amanhã seja um dia melhor!
Às vezes parece que já não sei falar de outra coisa, mas o trabalho não pára na biblioteca! Ao longo deste ano, muitas vezes, dei por mim a pensar se fiz a melhor opção em aceitar ser professora bibliotecária. Umas vezes, achei que sim. Outras vezes, achei que não. Nos dias em que achei que não, dei por mim a pensar «se soubesses o que era isto, desejarias ter sido professora do 1º Ciclo toda a vida e não tinhas deixado os teus alunos do 3º ano.»

É o PNL, é a actualização da colecção/aquisições, são as actividades de leitura para as «Caixas de Histórias», é o Plano Anual de Actividades, é o Plano de Acção, é o dia das bibliotecas escolares e todos os outros dias considerados mais importantes que outros, é o teatro de fantoches para lembrar o 25 de Abril é a Hora do Conto e todas as actividades inerentes a essa hora, é o Blogue, é a divulgação de actividades, é o «ensinar» alunos e professores a usar a biblioteca, são os concursos, é a leitura encenada para todas as turmas do 5º, 6º, 7º e 8º anos, é a história dramatizada para os alunos das escolas do 1º ciclo... e eu sei lá mais o quê! Ah! Acabei de me lembrar de um dos maiores pesadelos que tive! Lutar por mudar a forma como, muitas vezes, é encarada a biblioteca. Ela é um espaço de namoro, ela é um espaço de jogos, nada pedagógicos no meu ponto de vista, ela é um espaço de convívio, ela é um depósito de alunos ou uma sala de castigos...

E lá vêm os alunos desta e daquela turma que não tiveram professor de substituição, depois chega a invasão de alunos para requisitarem livros, tirarem fotocópias, irem jogar o jogo das hortas (!)...entretanto chega um professor «não me dás aquele P.P. que disseste que tinhas que fala da biodiversidade?»

Ainda há muito a fazer, sobretudo no melhoramento do processo de auto-avaliação, tornando algumas práticas, rotinas, aprendendo a escolher os instrumentos mais adequados a determinadas avaliações, aprendendo a cruzar informação, de forma a apresentar evidências claras das situações que permitam maior segurança na tomada de decisões e a implementação de medidas adequadas.

No domínio B. – Leitura e Literacia –, a BE realizou trabalho com bons resultados. As possibilidades de crescer neste domínio são muitas: reforço das actividades desenvolvidas e que foram bem sucedidas, estendendo-as a mais alunos; convite a mais professores e alunos para participação no blogue e promoção do blogue através da inclusão de mais conteúdos úteis; mais actividades de leitura acompanhada em sala de aula, rentabilizando, por exemplo, os livros adquiridos para as “Caixas de Livros”; maior envolvimento dos alunos do Ensino Pré-escolar e do 1º Ciclo.

No domínio D. – Gestão da Biblioteca Escolar – que foi aquele que foi alvo de avaliação este ano lectivo, foram dados passos importantes e seguros, iniciando a catalogação no Gib, etiquetando e organizando o fundo documental de forma a facilitar a pesquisa dos utilizadores e promover a sua autonomia. Há agora um importante trabalho de continuidade a realizar na facultação do catálogo informatizado a todos os utilizadores a nível interno e, logo que possível, com acesso on-line. Também no enriquecimento da colecção, seguindo a política documental e dando resposta às necessidades curriculares e não curriculares dos utilizadores, e no desbaste, envolvendo nesta gestão os professores das diferentes áreas do saber.

No domínio A. – Apoio ao Desenvolvimento Curricular – também foram dados alguns primeiros passos importantes, mas há ainda muito caminho a percorrer para atingir uma articulação curricular de excelência com as estruturas pedagógicas e os docentes. Dado tratar-se do domínio que mais directamente pode interferir nos resultados escolares dos alunos, vai tomar-se como prioritário no trabalho a desenvolver no próximo ano.

O domínio C. – Projectos, Parcerias e Actividades Livres de Abertura à Comunidade – foi o menos desenvolvido sobretudo no referente a envolvimento em projectos com o exterior. Consciente do facto, a equipa da BE irá começar a intensificar no próximo ano acções.

Agradeço a colaboração das assistentes operacionais que estiveram sempre disponíveis para me apoiar nos momentos menos bons e em todas as actividades dinamizadas na biblioteca! Por isso, um beijinho à Helena, à Vera e à Laura!

Agora, vou começar a preparar o próximo ano lectivo sempre com a expectativa de que esse seja um ano mais enriquecedor para todos os utilizadores das bibliotecas do Agrupamento. Espero, igualmente, que seja um ano enriquecedor para mim, quer a nível pessoal, quer a nível profissional e que a futura equipa da biblioteca seja formada por elementos com vocação e perfil adequados àquilo que se espera de uma biblioteca.

Boas férias!

Paula Ramos

MISSÃO HUMANITÁRIA


"Casa Fiz do Mundo" é uma Missão Humanitária que um grupo de colaboradores da comunidade católica de Carregosa, no concelho de Oliveira de Azeméis, tem realizado em São Tomé e Príncipe, com as Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, de Linda-a-Pastora (Lisboa). Com o trabalho que tem sido desenvolvido, existe a consciência da carência de alguns bens que aquele povo sente. Por isso, pretende-se continuar a apoiá-los da forma que for possível, enviando bens essenciais.


Projecto -"Educar para a Cidadania"

Com este projecto, pretendeu-se a sensibilização de todos os elementos da comunidade educativa e em especial dos nossos alunos. Afinal, a cidadania depende de cidadãos que entre outras coisas sejam:

• conscientes dos seus direitos e responsabilidades

• informados acerca dos temas sociais

• preocupados com o bem-estar dos outros

• influentes através da sua acção

• activos na vida da comunidade

• responsáveis na sua acção cívica

Um dos objectivos deste projecto é, através de um caso prático de sucesso «a Missão Humanitária "Casa Fiz do Mundo"» mostrar que é possível viver integrando uma componente de cidadania, solidariedade e luta contra a pobreza e contrariando o espírito comodista que impera nas sociedades actuais, deixando a semente da cidadania naqueles que serão a geração futura.

Este projecto visou desenvolver o conhecimento, a compreensão, as capacidades, as atitudes e os valores que ajudassem a:

• Sensibilizar a comunidade educativa e escolar para ajudar esta missão

• Desempenhar um papel activo na comunidade (local, nacional, internacional)

• Compreender que se pode ter influência e marcar a diferença

• Aprender desde cedo a ter autoconfiança e comportamentos sociais e moralmente responsáveis

• Aprender como tornar-se útil na vida e nos problemas que afectam as comunidades

O desenvolvimento deste projecto passou pela colaboração da professora bibliotecária com o professor da disciplina de EMRC, sensibilizando todos os alunos para a necessidade de colaborar com esta missão, através do conhecimento das suas actividades e objectivos. Para esse efeito, os alunos conheceram o site desta missão através da projecção de filmes ilustrativos, ora na sala de aulas, ora na biblioteca.

A campanha de recolha de donativos ocorreu durante o mês de Maio e Junho do corrente ano, na Biblioteca escolar e junto ao PBX.

Conseguimos entregar dois caixotes médios, com produtos de enfermagem e produtos de higiene. Acredito que o pouco que se conseguiu com esta campanha de recolha de donativos, contribuiu para a tomada de consciência da carência de alguns bens que aquele povo sente.

A todos os que colaboraram, os meus sinceros agradecimentos!

CAIXAS DE HISTORIAS






A ideia é arranjar uma caixa comprada ou reutilizada. Para iniciar este projecto, optei por comprar caixas bonitinhas e baratinhas.


Escolhi algumas histórias e fiz os personagens. Para algumas histórias, criei uma Oficina de Escrita Criativa! Para outras histórias fiz cenários e adereços adequados à história.

O projecto é deveras aliciante. O objectivo é ir contando histórias em que a surpresa seja encontrar os personagens da história dentro de uma caixa, numa outra, ser a própria caixa o cenário da história...

As Caixas de Histórias pretendem ser uma representação de forma diferenciada de um conto, obra ou poesia, itilizando, além de fantoches, bonecos, outros objectos que possam complementar a dramatização.

Uma viagem em que a expressão plástica e a arte de contar histórias procuram motivar novos leitores!

Aqui podem ver as Caixas de Histórias que existem e que podem requisitar.

Qualquer uma das Caixas de Histórias pode ser requisitada na biblioteca da escola sede. Para conhecer os procedimentos deste empréstimo pode consultar o Regulamento de Utilização e Circulação das Caixas de Histórias.

DIA DO AGRUPAMENTO 2010

Na sexta-feira, dia 4 de Junho, celebrou-se o Dia do Agrupamento.

Foram diversas as actividades preparadas e desenvolvidas para este dia que reuniu todas as escolas do Agrupamento de Escolas de Pinheiro da Bemposta.

Um dia em que a escola abre as portas a todos, para que seja possível conhecer de mais perto o que por aqui se faz.













A biblioteca da escola, acolheu iniciativas de carácter cultural e pedagógico que estimularam os alunos a uma competição saudável, contribuindo para a melhoria das aprendizagens!

O Concurso Intercultural permitiu passar o tempo de uma maneira interessante, ao mesmo tempo que deu a possibilidade de verificar o grau de conhecimentos dos participantes. À semelhança de alguns concursos da televisão, esta foi uma iniciativa que cativou participantes e o público que assistiu. A biblioteca ficou cheia de alunos com vontade de responder, mesmo sem serem participantes! Uma actividade a repetir mais vezes durante o próximo ano lectivo!

O Concurso de Música foi uma iniciativa dinamizada pela Cláudia Oliveira, uma aluna do 9º ano. Ela conseguiu motivar muitos alunos para participarem no 1º Concerto «Jovens Músicos». A biblioteca encheu-se de alunos e professores curiosos para ouvir cantar algumas melodias como «Hey Soul Sister», «Crazier», «Disney Movie Magic»... Este concerto foi enriquecido com momentos em que apenas se ouviu o som das guitarras, interpretando temas como «Snapgragon Rag», «Lágrima»... Tivemos ainda oportunidade de ouvir os sons da trompa, do saxofone e do trombone! Mais um momento muito interessante e a repetir mais vezes!

As Olimpíadas de História tiveram lugar aqui na biblioteca escolar. Os alunos estiveram bem animados e entusiasmados. Um tema que ultrapassou a sala de aula e acabou por envolver muitos alunos, permitindo a abertura de importantes janelas para o conhecimento do mundo.

ABRIL LIVROS MIL

A biblioteca da escola sede associou-se ao projecto “Abril Livros Mil”. Um programa de actividades que ocorrem anualmente durante o mês de Abril, em Oliveira de Azeméis e que tem por principal objectivo a comemoração do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor e do Dia Internacional do livro infantil.


A professora bibliotecária participou nas Estafetas da Leitura que culminaram com um Serão de Contos! Nessa noite, a professora bibliotecária, durante alguns minutos, foi uma contadora de histórias que tentou cativar miúdos e graúdos com a história que contou!


segunda-feira, 21 de Junho de 2010

CONCURSO «falaescreveacertaeganha»

No dia 09 de Junho de 2010, a escola EB2/3 Dr. José Pereira Tavares participou no programa "falaescreveacertaganha" fazendo-se representar pela equipa "As Cozinheiras de Letras". Foram seleccionadas três alunas do 5º A: Catarina Silva, Francisca e Joana Pintor.




Deixo aqui o testemunho da Catarina:

Uma experiência única

No dia 9 de Junho, eu, a Joana, a Francisca e a professora Paula Ramos fomos aos estúdios da RTP1 gravar um programa televisivo da RTP1 e RTP2, no Monte da Virgem. Quando lá chegámos estávamos nervosas!

Logo que chegámos, fomos à cantina da RTP, pois a professora Paula Ramos ainda não tinha almoçado. Enquanto víamos a professora Paula Ramos a comer, treinávamos a leitura para, finalmente, sabermos quem iria ler na última etapa do concurso chamada «Ler é aprender». A professora Paula Ramos teve muita dificuldade em escolher porque todas lemos muito bem. A dificuldade foi tanta que teve que ser à sorte e assim, a Joana foi a sortuda!

Depois de sairmos da cantina, dirigimo-nos a uma sala de espera onde estavam outros participantes vindos de várias localidades como Covilhã, Espinho, Braga...

Enquanto esperávamos tivemos duas surpresas maravilhosas: a Sónia Araújo e o Jorge Gabriel! Quisemos logo tirar fotos com os dois apresentadores e eles mostraram-se logo disponíveis.

Depois de tanto esperar, pareceu-nos que a nossa equipa adversária tinha chegado. Vimos logo que aqueles alunos pertenciam à equipa adversária pois tinham o mesmo livro que o nosso! «A Princesinha»!

Os nervos eram cada vez mais, mas com toda a acalma possível ouvimos a senhora que explicava cada etapa do concurso e as respectivas regras para assim ficarmos a saber o que devíamos ou não fazer. Escolhemos as nossas posições, vestimos as camisas do concurso, maquilharam-nos e pentearam-nos.

Na sala de espera havia uma televisão que dava em directo o que se passava nas gravações de cada equipa.

Chegou a nossa vez! Eu estava calma. Aquilo quase não era uma competição! Fizemos as gravações e tudo correu como esperávamos. GANHÁMOS! Não entrámos para o quadro de honra mas já foi muito bom termos ganho. A Joana teve pontuação máxima na leitura. Nós já sabíamos que podíamos contar com ela! Os pontos das equipas foram:

- Estrelinhas do Mar- 103 (Espinho)

- As Cozinheiras de Letras- 125 (Pinheiro da Bemposta)

No final das gravações, tirámos uma foto com o apresentador do programa e com a nossa equipa adversária. Uma das nossas adversárias, chamada Mafalda, ficou nossa amiga.

Já no carro, a Joana estava sempre a perguntar:

- Para o próximo ano podemos cá voltar?

Quando chegámos à nossa escola, estava a chover. Isso foi a coisa pior do dia, mas não destruiu a nossa felicidade de termos participado e ganhado este concurso tão interessante!



SEMANA DA CRIANÇA





Entre os dias 31 de Maio e 4 de Junho, decorreu a
Semana da Criança no Parque de La Salette. A nossa biblioteca participou na Mostra Pedagógica com uma exposição de alguns materiais relacionados com a Hora do Conto. Adultos e crianças tiveram a oportunidade de conhecer o conteúdo das «Caixas de Histórias», lendo os livros expostos, tocando e brincando com os bonecos das histórias que foram contadas, ao longo do ano!







ANO INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE

Nos dias 31/05, 1, 2, 7, 8 e 11 de Junho decorreu na Biblioteca Escolar da escola sede uma Acção de Sensibilização que, durante duas semanas, pretendeu evocar o Ano Internacional da Biodiversidade realçando a importância vital que a biodiversidade tem para o bem-estar humano e para a sua sobrevivência.

Os alunos do 5º, 6º, 7º e 8º ano tiveram oportunidade de ver um PowerPoint com informações gerais, imagens e pequenos filmes com o objectivo essencial de os encorajar a ter acções que conduzam à melhoria da gestão da vida no nosso planeta:

• Sensibilizar para os cuidados a ter com a água;

• Alertar para as consequências de um consumo desequilibrado de água;

• Sensibilizar para as vantagens do consumo de água tratada;

• Sensibilizar para a necessidade de racionar o consumo de energia;

• Sensibilizar para a reciclagem, incentivando os alunos para a prática da recolha selectiva;

• Sensibilizar para a necessidade de uma maior redução dos resíduos sólidos;

• Recolher os resíduos espalhados no chão da escola e proceder à sua separação;

• Sensibilizar para a necessidade de separar correctamente os resíduos;

• Sensibilizar para o respeito e conservação da Floresta;

• Sensibilizar os alunos para a necessidade de preservação da biodiversidade e dos animais e plantas em via de extinção.


 
Durante estas duas semanas, toda a comunidade escolar pôde visitar uma exposição sobre animais e plantas em vias de extinção para realçar a urgência da tomada de consciência que simples atitudes individuais podem, no seu conjunto, melhorar o ambiente global.
 

 

HORA DO CONTO - DIA da MÃE

        Foi dinamizada a Hora do Conto, integrada na comemoração do dia da Mãe, para os alunos do Pré-Escolar e do 1º Ciclo das escolas de Palmaz e de Areosa.


       A história seleccionada para os alunos da pré, 1º e 2º ano foi «Quando a mãe grita...» de Jutta Bauer.

Foi um momento muito divertido sem deixar de ser
produtivo em que os alunos aprenderam o quanto os
pais os amam (mesmo quando perdem a paciência).


Também aprenderam algo de muito importante: pedir desculpa e abraçar alguém não é um sinal de fraqueza, mas antes um sinal de amor.


Foi engraçado ver a cara dos alunos a olharem para o bico do pinguim que voou, para as asas que desapareceram... mas o momento que mais me marcou foi os alunos verem as partes do pinguim a serem encontradas e montadas!




No final, os alunos participaram numa Oficina de Escrita  em que tiveram oportunidade de escrever e ilustrar um livro intitulado...

«Quando o filho grita...»

Trabalhos dos alunos

Os alunos do 3º e 4º ano participaram na Hora do Conto, vendo e ouvindo uma história que nos fala de um menino que está cansado da mãe que tem. Um conto divertido e sério ao mesmo tempo, que fez as crianças rir e pensar.

A história escolhida foi «A Minha mãe é a Melhor do Mundo» 
 de Maria João Lopo de Carvalho


Os personagens desta história «ganharam vida» com bonecos confeccionados pelos elementos da equipa da BE, que atraíram os alunos, captando a sua total atenção.






No final da história foram interessantes os comentários e diálogos que surgiram:

- Professora, quem é mais importante? A mãe ou o pai?

- Os dois - respondi.

- Não! Tens de dizer qual é o maaaais importaaaante!

- Os dois!- repeti!

- Não! Tu não estás a perceber! Não podem ser os dois! A mãe é a mais importante porque passa muito tempo com os filhos dentro da barriga!

No final, os alunos tiveram oportunidade de participar numa Oficina de Escrita Criativa com propostas der escrita diferentes, diversificadas e aliciantes sobre a mãe.

domingo, 20 de Junho de 2010

A DECORAÇÃO DA BE DURANTE O 25 DE ABRIL

COMEMORAÇÃO DO 25 DE ABRIL

O cravo é um símbolo de uma revolução. A Revolução de Abril!


Uma revolução sem violência, como tanto se exige dos nossos alunos!

Uma revolução que permitiu que os nossos alunos, hoje em dia, possam intervir na sociedade, sem medo e sem tristeza!

Eles não viveram o 25 de Abril, mas julgo que me cabe a função de lhes incutir o respeito e admiração por quem o viveu, com força e dignidade, sem medos e sem cobardias.

A essas pessoas, os nossos alunos devem-lhes o seu crescimento livre.

Esta é uma parte da nossa História que me recuso a apagar e por isso, como professora bibliotecária, convidei as turmas do oitavos e nonos anos a comparecerem neste espaço para a comemoração do 36º aniversário do 25 de Abril.

Tiveram a oportunidade de ver um powerpoint sobre este tema, ouvir e cantarolar músicas do 25 de Abril. Veja o powerpoint. clique

No final, lancei-lhes um desafio: teriam de responder a nove questões sobre esta temática! Aquele que acertasse mais respostas teria direito a um prémio: um bilhete de cinema!

Um bilhete para o aluno(a) do 8º ano que responder a um maior número de respostas certas e o mesmo procedimento para o 9º ano.
Os alunos vencedores foram:


• Daniel Coelho – 8º B

• Cláudia Oliveira – 9º C











Vamos espreitar os resultados de cada turma! clique

No final, propus o preenchimento de um inquérito de satisfação sobre a actividade decorrida. clique

Após o tratamento dos dados, estes foram os resultados. Clique



Hora do Conto- 25 de Abril   

Ainda no âmbito das comemorações do 25 de Abril, «A fábula dos feijões cinzentos» de José Vaz, foi a história seleccionada para contar aos alunos dos oitavos e nonos anos, nos dias 10,11 e 12 de Maio.

Foi mais um momento de aprendizagem e sensibilização sobre esta época! Foi um momento de leitura dramatizada e interactiva em que os alunos participaram e demonstraram entusiasmo!







A quem interessar, deixo aqui algumas propostas de Escrita Criativa sobre a temática do 25 de Abril. Será uma ideia interessante e diferente, transformar a sala de aulas numa Oficina de Escrita! clique


PLANO NACIONAL DE LEITURA




«Tal como sucedeu em anos anteriores, e levando em conta a necessidade de promover a leitura nas escolas de uma forma lúdica, o Plano Nacional de Leitura – em articulação com a RTP, com a DGLB /Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas e com a rede das Bibliotecas Escolares – promove, no ano lectivo de 2009 / 2010, o Concurso Nacional de Leitura. Tendo como objectivo estimular a prática da leitura entre os alunos do Ensino Secundário e do 3º Ciclo do Ensino Básico, o concurso pretende avaliar a leitura de obras literárias pelos estudantes desses graus de ensino.
O Concurso Nacional de Leitura decorrerá em três fases diferentes: a 1ª Fase, a realizar nas escolas; a 2ª Fase, a realizar nas Bibliotecas Municipais designadas pela DGLB; e a 3ª Fase, correspondente à Final Nacional, realizada em Lisboa em colaboração com a RTP.»
A segunda fase do concurso realizou-se na Biblioteca Municipal de Anadia. A nossa escola foi representada por três alunas do 7º ano:

• Letícia Marques Soares
• Sofia Ferreira V. Ribeiro
• Joana Margarida G. Oliveira

Fica aqui registada a opinião das alunas que participaram neste concurso!

«A experiencia, que vivemos, foi óptima porque para além de conhecermos pessoas novas, tivemos um dia muito divertido. Além disso ficámos com uma ideia do que são concursos de Língua Portuguesa. Não ganhámos mas o mais importante foi participar.» Sofia Ferreira V. Ribeiro

       «Participámos no Concurso Nacional de Leitura deste ano que se realizou na Biblioteca Municipal de Anadia. Chegámos por volta das 9h30m. Deram-nos uma camisola vermelha e um papel com um número que viria a ser sorteado.
       Como eram muitos concorrentes, fomos divididos em grupos. Enquanto um grupo fazia a prova, o outro grupo fez uma visita guiada pela Biblioteca. Foi muito interessante!
       Chegou a nossa vez de realizarmos a prova escrita. Consistiu numa sopa de letras, palavras cruzadas e algumas perguntas sobre os livros que tivemos de ler.
       Seguidamente visitámos o Museu do Vinho onde acabámos por almoçar numa sala pequena com muita gente.
       A ementa foi leitão, rissóis, croquetes, batatas fritas, bolo, sumos, água e espumante. Como estava muita gente, decidimos almoçar no pátio.
      Depois do almoço, deslocámo-nos ao anfiteatro para sabermos os resultados das provas. Não ganhei mas foi uma tarde muito divertida!
       Para quem estiver interessado em saber, o júri foi formado pela escritora Isabel Alçada e pelo escritor Bruno Santos.
       Desejo boa sorte a quem concorrer no próximo ano, mas o mais importante é divertirmo-nos!»
                                            Letícia Marques Soares




quarta-feira, 7 de Abril de 2010

SEMANA DO TEATRO

O Dia Mundial do Teatro celebra-se anualmente, desde 1962, a 27 de Março.


Assim, a actividade promovida pela biblioteca escolar para assinalar esta data, foi trazer os alunos do 9º C com a peça de teatro do romance trágico de D. Pedro e D. Inês.

Desta vez, os alunos foram criativos e adaptaram a peça aos tempos actuais e inovaram ao colocarem D. Pedro a receber um mail de seu pai, D. Afonso, a solicitar a sua presença. Conseguiram a proeza de permitir a D. Inês entrar num bar e beber para afogar as suas mágoas em relação à traição de seu marido, D. Pedro. Mais arrojado ainda, vemos D. Inês a tirar a aliança do dedo e a falar em divórcio. Ainda mais inédito foi ouvir D. Pedro dizer que ia assistir a um jogo de futebol em vez de ir para a caça!

Enfim, uma dramatização cheia de surpresas e de imaginação. Afinal, esta actividade surgiu na sequência da comemoração do Dia de S. Valentim. Nessa altura, prometeram ensaiar e fazer algo de original e apesar do seu nervosismo e de uma plateia cheia, os alunos do 9º C, cumpriram o desafio e assumiram a responsabilidade.

Para dar início à sessão de teatro, algumas alunas do 7º A, ensaiaram e ofereceram-nos um momento bonito de dança.



sexta-feira, 2 de Abril de 2010

SEMANA DA LEITURA

De 15 a 19 de Março, a BE associou-se à Semana da Leitura, uma iniciativa promovida pelo Plano Nacional de Leitura. Muitas foram as actividades que decorreram ao longo da semana, neste Agrupamento, conforme se pode constatar no Cartaz/Programa.
Este evento contou com a participação e com a colaboração de muitos alunos e de muitos professores, que de uma forma mais passiva ou de uma forma mais activa, quiseram fazer parte desta «festa» da leitura e da poesia.

Um grito na poesia

Logo no 1º dia, 2ª feira, os alunos do 5º C estiveram presentes na biblioteca para participarem na Oficina «Um grito na poesia» dinamizada pela professora bibliotecária, Paula Ramos.


Conheceram um pouco da biografia de Florbela Espanca e ouviram o poema «Ser poeta». Os alunos colocaram-se em círculo. Um aluno começou a leitura, lendo o 1º verso, depois o vizinho leu o 2º verso e assim sucessivamente. Leram em fila, leram de joelhos, leram só os rapazes, leram só as raparigas... Enfim, leram o poema de formas diversificadas!

De seguida, cada um recebeu uma imagem alusiva ao poema. Cada um interpretou a imagem recebida e associou-a a um verso. À medida que o poema ia sendo lido, cada aluno ia mostrando a imagem que achava adequar-se àquele verso!

Ouviram uma versão do poema cantado por Luís Represas e também eles saíram da biblioteca a cantarolar «Ser poeta é ser mais alto....»



pode ver o filme desta actividade aqui.






Poesia nas diferentes línguas

Ainda na 2ª feira, a biblioteca encheu-se de alunos e professores para assistirem a um concurso de leitura de poesia em português, em francês e em inglês!


Como convidados de honra e para dar início a este momento de poesia, estiveram presentes os alunos Fábio Fonseca ao trompete, Rui Pinto e João Costa à viola. Ofereceram-nos um momento especial de música antes da poesia com o Hino da Alegria.


Esta foi uma iniciativa do Departamento de Línguas em parceria com a professora bibliotecária. Foi um momento que abraçou a dimensão cultural (conhecer o outro através da linguagem escrita) a dimensão linguística (desenvolver a aquisição de competências da expressão oral, nomeadamente a leitura) a dimensão criativa (usar a imaginação e expressividade para perceber o imaginário de quem escreve) e a dimensão interpessoal (encontro e interacção com a comunidade escolar).

Os poemas apresentados foram subordinados ao tema «Primavera na Natureza». Uma tentativa de sensibilizar para a defesa do ambiente, como forma de celebrar o início da Primavera, a reconstituição do novo, na Natureza, na vida humana aliado ao acto criativo da escrita.

Os alunos que leram as poesias estavam muito nervosos perante tão grande plateia e com o júri à sua frente formado por professores e alunos. No entanto, foram eles os grandes dinamizadores desta actividade, pois sem estes «pequenos grandes leitores» não teria havido este momento de poesia!

Foram muitos os alunos que leram os poemas:

Laura- 5º A Filipe- 5º B Susana- 5º C

Hélder- 6º B Vítor Hugo- 6º C Joana – 7º A

Vânia – 7º B Soraia- 7º C Liliana – 7º D

Letícia- 8º A Fabiana- 8º B Joana – 8º C

Francisca – 9º A José Luís – 9º B Carlos – 9º C

Tatiana- Pastelaria 1 Ricardo Chaves – Mecânica 2

Os poemas foram distribuídos pelos diferentes anos de escolaridade. Os alunos, do 5º ano, leram «Um dia juntei todas as palavras». Os alunos do 6º ano leram « We have a garden». Os alunos do 8º ano e de Pastelaria leram «L’arbre». Os alunos do 9º ano e de Mecânica leram «A red, red rose».

Após uma séria reflexão baseada em alguns critérios, como, a pronunciação, o ritmo e a entoação, o júri deliberou como vencedores os alunos:

Filipe Assunção – 5º B – 114 votos

Hélder Almeida – 6º B – 85 votos

Joana Ribeiro – 7º A – 93 votos

Letícia Sousa – 8º A – 109 votos

Francisca Ribeiro – 9º A – 106 votos




 
A sedução na poesia


Ainda no dia 15, os alunos do Curso de Pastelaria 2, estiveram presentes na Oficina «A sedução na Poesia» dinamizada pela professora bibliotecária, Paula Ramos.

Tiveram oportunidade de conhecer um pouco da vida de Almeida Garrett. Ouviram a leitura do poema «Barca Bela» e leram este poema de formas diversificadas. Foi feita uma análise do poema com base num Guião de Leitura.


Ouviram várias versões do poema, cantado por Madalena Iglésias, Teresa Silva de Carvalho, Grupo de Outra Margem e outros. Ficaram tão entusiasmados que também eles quiseram criar uma versão cantada e original do poema.




Madalena Iglésias



Grupo de Outra Margem



Teresa Silva de Carvalho



Foi-lhes pedido para imaginarem que o poeta os tinha contratado como ilustradores. Acabadas as ilustrações, os alunos apresentaram e explicaram o seu desenho ao grupo.
Podem ver os filmes destas actividades: -filme 1; - filme 2; - filme 3






Hora do Conto na Areosa

O dia 16 foi dedicado à escola EB1 de Areosa com a Hora do Conto. Nesta actividade os alunos puderam assistir à leitura dramatizada e interactiva da obra «As cozinheiras de livros» de Margarida Botelho. Uma iniciativa da professora bibliotecária Paula Ramos e por ela dinamizada.

Antes da Hora do Conto, houve uma preparação com muita alegria e participação de alguns alunos e professores!






Foi interessante, pois os alunos participaram activamente no conto, encarnando as personagens de cozinheiras e de investigadores!


Com base num Guião de Leitura procedeu-se à exploração da obra. Algumas turmas participaram numa Oficina de Expressão Plástica usando técnicas de modelação para a confecção de figuras alusivas à história.

























Poemas dramatizados

No dia 17, a Biblioteca da EB2 encheu-se de alunos e professores para assistirem a uma sessão de poesia dramatizada. Os alunos pertencentes ao Clube de Teatro da Escola, com o apoio dos professores João Monteiro e Sónia Pinho, souberam encantar e cativar a plateia com a leitura de poemas dramatizados. Esta foi uma iniciativa proposta pela professora bibliotecária aos professores do Clube de teatro, que de imediato, abraçaram a ideia!


O cenário estava bonito e as imagens de fundo adaptadas aos poemas. Os trajes usados pelas meninas estavam adequados e a forma como deram vida aos poemas, através da dramatização, demonstrou o gosto que os nossos alunos têm em participar neste tipo de actividades.

O primeiro poema seleccionado foi «Lianor» de Luís Vaz de Camões. O segundo poema foi «Casamento da Franga» de Jaime Cortesão.

A titulo de brincadeira, é de registar o aparecimento de um personagem muito importante, que provocou gargalhada geral: um frango vivo!







O professor João Monteiro, durante o intervalo, declamou o poema «A Neve» de Augusto Gil.


No final da sessão, a professora bibliotecária, Paula Ramos, animou todos os alunos e professores presentes com leituras de poemas, conseguindo envolver a plateia numa leitura «a uma só voz» que ecoou pela Biblioteca.

A brincar e a divertirem-se os alunos leram poesia e pediram mais.

Pode ver os filmes desta actividade: - filme 1; - filme 2; - filme 3;




O sonho na poesia


Os alunos do 9ºB, no dia 17, deslocaram-se à biblioteca para participarem na Oficina «O sonho na poesia» dinamizada pela professora bibliotecária, Paula Ramos.


Conheceram a biografia de António Gedeão e ouviram declamar o poema «Pedra Filosofal». Leram o poema de formas diversificadas e ouviram uma versão do poema cantado por Pedro Barroso.

Foi distribuída uma folha com a escrita do poema com lacunas e enquanto ouviam o poema cantado, tiveram de preencher os espaços em branco. Foi interessante, ouvir e ver os alunos a cantarolar o poema baixinho!


No final, foi-lhes lançado um desafio: escrever um poema sobre a importância do «Sonho»!


Vamos esperar pelos resultados...






Hora do Conto em Palmaz

O dia 18 foi dedicado à escola EB1 de Palmaz e ao Pré-escolar, com a Hora do Conto. Nesta actividade os alunos puderam assistir à leitura dramatizada e interactiva da obra «As cozinheiras de livros» de Margarida Botelho. Uma iniciativa da professora bibliotecária Paula Ramos e por ela dinamizada.




Foi interessante, pois os alunos participaram activamente no conto, encarnando as personagens de cozinheiras e de investigadores!

Com base num Guião de Leitura  procedeu-se à exploração da obra.



A ciência e a poesia

No dia 19, os alunos do 6º B conheceram a biografia de António Gedeão e ouviram declamar o poema «Lágrima Preta» dinamizada pela professora bibliotecária, Paula Ramos.


Leram o poema de formas diversificadas.

Ouviram uma versão do poema cantado. Foi distribuída uma folha com a escrita do poema com lacunas e enquanto ouviam o poema cantado, tiveram de preencher os espaços em branco.

Viram uma apresentação em PowerPoint da análise poética/científica do poema e no final, todos cantaram o poema!

A cantar e a divertirem-se, leram poesia!

veja os filmes: - Filme 1; - Filme 2; - Filme 3; - Filme 4; - Filme 5












Hora do Conto com o 5º A


No dia 19, os alunos do 5º A tiveram oportunidade de participarem na Hora do Conto. Nesta actividade os alunos puderam assistir à leitura dramatizada e interactiva da obra «As cozinheiras de livros» de Margarida Botelho. Uma iniciativa da professora bibliotecária Paula Ramos e por ela dinamizada.




Foi interessante, pois os alunos participaram activamente no conto, encarnando as personagens de cozinheiras e de investigadores!







A Equipa da Biblioteca


A equipa educativa da BE é constituída por um grupo de docentes designados pela Direcção da Escola, dos quais um é Professor Bibliotecário:

Paula Ramos (Professora Bibliotecária/professora 1º Ciclo)Mário Candeias (Professor de 3º Ciclo/ Ciências da Natureza)Mª João Cravo (Professora do 2º Ciclo/ Língua Portuguesa)Filipe Sousa (Professor do 3º Ciclo/TIC)
Susana Barros (Professora do 3º Ciclo/ EV)
Mª Helena Henriques (Assistente Operacional)
Laura Pais (Assistente Operacional)


Horário da BE


O horário de funcionamento da BE, afixado na porta de acesso à mesma, é definido no início de cada ano lectivo, procurando-se assegurá-lo das 8h 30m às 17h 00.

As alterações ao horário de funcionamento da biblioteca, exceptuando situações imprevistas, serão sempre anunciadas 24 horas de antecedência, mediante aviso escrito, afixado em local visível na biblioteca.

Os utilizadores serão avisados 5 minutos antes da hora de encerramento da biblioteca, de modo que este serviço encerre à hora determinada.

Após o encerramento do serviço ao público, a biblioteca voltará a ser aberta unicamente para o serviço interno de limpeza, estando interdita qualquer outra entrada para outro fim sem o conhecimento/ autorização do Professor Bibliotecário.

ESPERAMOS POR TI!!


... O mundo gira e dá voltas, nós mudamos e as coisas também, e é através da LEITURA que nos poderemos descobrir, descobrir e conhecer a história da humanidade, saber como as coisas funcionam, saber mais de nós mesmos e do mundo que se encontra a nossa volta.

A biblioteca da Escola do Pinheiro da Bemposta - Dr José Pereira Tavares, está de portas abertas para ti estudante, professor, funcionário e visitante.
Entra neste mundo de sonhos e magia...


Esperamos por TI !!!